8.5.14

PAZ E AMOR, OS ANTÍDOTOS CONTRA A VIOLÊNCIA


O enxame de notícias violentas diárias faz com que as pessoas não se choquem mais com tanta barbárie. Vivemos um retorno à Idade Média, a era mais obscurecida da humanidade. Todavia, naquela época o volume de informações era pequeno, e o Homem caminhava pela crosta como um Louco, carta de tarô, à beira do abismo. Hoje, temos um calhamaço de notícias que renovam a crueldade.

Ontem, ao assistir a uma palestra do amigo e irmão Wagner Borges sobre Os Iniciados, um grupo de espíritos universalistas, percebi que eu estava bradando demais meu desconforto. Sim, sou jornalista de ofício e uma das minhas metas na vida é informar e lutar contra as desigualdades sociais e toda a ignorância tão soberana nos últimos tempos. Mas, como espiritualista praticante de amor e fé, não posso me deixar levar pela revolta e indignação acerca da hipocrisia de uma sociedade que ainda massacra em praça pública.

O antídoto da violência é a paz.

Não podemos fechar os olhos para a barbaridade, mas se entrarmos neste clima bélico contra a belicosidade lutaremos contra a violência de um modo violento. É o mesmo que apedrejar um bandido.

Se as hordas das sombras planejam e promovem ações funestas e horripilantes, o que se espera da Luz? A Luz deve dissipar e iluminar todas as trevas, verter sol, jorrar amor aos outros.

As sombras possuem uma coleção de armas, entre incitar a violência, alastrar o ódio, disseminar a loucura. A Luz transmite ondas de amor, compaixão, paz, sabedoria.

Assim, quando presenciarmos as ações do mal, recordemos imediatamente das atitudes do Bem.

Substituir o linchamento pelo Sermão da Montanha. Desviar os olhos das notícias trevosas ao Tao te Ching. Deixar de dar audiência às lutas sangrentas e voltar os olhos ao Mahabarata, a guerra interior. Deixar de ouvir as frases sangrentas e passar a escutar o Buda interno.

Assim, mesmo que o mundo esteja em derradeira tempestade, abrir as janelas do peito ensolarado e irradiar Luz ao Mundo.

6.5.14

O APOCALIPSE DA VERGONHA


Visualize uma película de terror, um filme que retrata a Idade Média, uma "Santa" Inquisição, onde as pessoas eram trituradas e queimadas vivas, acusadas de bruxaria.

Quantas vezes assistimos isso nos cinemas ou nas séries de TV? Ficção? História medieval? Não, o episódio é real e aconteceu no litoral elitista de São Paulo, Guarujá, reduto decadente de abastados paulistanos.

E a teoria sheherazadiana do "compreensível" linchamento fez mais uma vítima, e desta vez, por engano... Bizarro demais, e uma compreensível descrença no ser humano.

Além da barbárie, outras coisas me chamam a atenção... Entre elas, o fato de utilizarem esta morte calamitosa como discurso político contra o governo federal (!!!!), COMO? Não entendi. Como podem cometer esta atrocidade moral, sem escrúpulos ou respeito pela dor humana, e deitar o porrete e linchar um partido pela morte coletiva de um ser humano, sendo ele inocente ou culpado?

Outro fato que me chama a atenção é que muita gente está achando isso "normal"... Não entendi novamente. Como podemos achar normal um espancamento de um ser humano? Aliás, como podemos achar natural qualquer linchamento, até em um verme? Ultrajante. Vergonhoso.

Horda de assassinos, ávidos pelo plasma de algo que nem eles sabem o que buscam. Qual a moral que defendem? Linchamento contra a violência? Mudança política?

Este episódio avassalador só firma aquilo que penso sobre a humanidade: que foi um projeto híbrido que não deu certo e que agora foi abandonado pelos criadores (serão os deuses, astronautas?). Qual o percentual de evolução que a desgraça humana atingiu nestes últimos 1000 anos? Responda se for capaz.

E não me venha falar que isso só acontece no Brasil... Esta obscuridade umbralina, patrocinada pelo inferno, é algo mundial, basta sintonizar as notícias diárias da crosta terrestre.

Ma,s no Brasil, a nova corrente obsessiva nacional é a convulsão eleitoreira, uma guerra civil política, uma indignação extremista, desequilibrada e débil. São os que defendem a  volta militarista, seus métodos torturantes, em uma indignidade racista e "classemedianista" contra a situação pseudoesquerdista (que nem esquerda é)  e contra a ascensão da pobreza. São eles que conferem culpa de todas as atrocidades do Universo  ao PT, principalmente à presidente Dilma, acusada de guerrilheira e terrorista.

Mas, este caso, o deste linchamento assassino, e que está sendo usado como plataforma política,  passou do limite da monstruosidade.

Daqui a pouco, o Mundo vai acabar e a culpa será do Governo Federal do Brasil, que fez pactos com o Satã para que o Apocalipse fosse realizado no Brasil.




DITADURA - QUE HISTÓRIA É ESSA?