20.4.16

COMO AS TROPAS UMBRALINAS INVADIRAM O BRASIL


Só quem viveu em pleno inferno sabe...

Amargamente tenho muitas memórias, vividas na pele, das regiões mais densas do nosso planeta chamadas de Umbral.

Na verdade não existe apenas um Umbral, são vários. Lá você encontra de tudo, desde ruas sombrias onde capengam bêbados e entorpecidos até templos fanáticos religiosos com sacerdotes que bradam enfurecidamente o nome de Deus.

Em uma dessas regiões presenciei o que o Waldo Vieira chama de Congressus Subtibilis. São planícies trevosas e pútridas onde são realizadas orgias pegajosas e fétidas, com pessoas que vampirescamente fazem sexo em tempo integral até caírem exaustas e sem energia.

Os grupos mais perigosos e violentos que eu pude presenciar foram as facções políticas. Acreditem, existem hordas populosas de nazistas, fascistas, neonazistas, nazifascistas, entre outras aberrações extremistas. Tais facções criminosas atuam em grandes grupos, exatamente como fazem as piranhas nos rios com lodo.

Infelizmente, de uns tempos para cá, tais organizações sangrentas invadiram o espaço terrestre que chamamos de Brasil. Os motivos foram diversos. Todavia, é bom que se conheça o mecanismo de funcionamento destes assédios coletivos.

A eleição da primeira mulher como presidente do Brasil já havia mexido com as turbas. Ficaram enfurecidos. Absolutamente todos esses grupos apresentam características machistas ao extremo. Não suportam a ideia de serem comandados por uma mulher. No entanto, como existem "mulheres" nestes grupos, muitas com caráter feminazi extremista, houve uma grande briga de poder.

Na gestão anterior, o presidente Lula sucumbiu à tentação de firmar parcerias e conchavos com os políticos mais sombrios do Brasil.  E assim, estas velhas lideranças políticas, de almas energrecidas e corruptas, manifestaram apoio à eleição de Dilma. No entanto, como a presidenta não tem traquejo algum com negociatas políticas, e nem aceitava conceder benesses a estes grupos, como havia feito o presidente Lula, a líder começou a ser ameaçada de todas as formas. Mas, ela não se intimidou, mesmo porque seu passado de militante já havia sofrido diversas violências e torturas. Dilma Rousseff não entrou no jogo político do tapinha nas costas. Não aliviou para ninguém, não livrou ninguém. Nem a si própria.    

Desse modo, todos os famigerados políticos e partidos que apoiaram a presidenta se rebelaram e, literalmente, a porta do inferno foi aberta. Verdadeiras legiões de extremistas desencarnados, ávidos por sangue e plasma, desembarcaram na terra brasilis com uma única intenção: arrancar Dilma e seu séquito do poder.

Não estou afirmando aqui que Dilma, Lula e companhia bela são habitantes do Plano Astral Superior, que são espíritos puros e angelicais, longe disso. E nem que toda a oposição é umbralina. O que estou revelando são as razões pelas quais as portas do inferno foram escancaradas.

A falta de habilidade política de Dilma também foi um fator decisivo. E o abandono de Lula no apoio ao governo, outro. Os espiritualistas sabem que há premissas básicas que devem ser respeitadas, uma delas é o respeito às sombras. Eu digo respeito e não acordo ou conchavo.

Esse texto mesmo, que agora escrevo a vocês, deverá ser alvo de ataques extrafísicos, mas cabe a mim, como espiritualista, suportá-los e vibrar positivamente para que a obsessão não encontre morada e respaldo em minha vida e na de minha família. Orar e vigiar.

Hoje, centenas de milhares de espíritos militantes destes grupos extremistas agem diuturnamente com a função de influenciar toda a sociedade brasileira. E assim estao fazendo a festa! Muitos contam com um discurso de respeito às tradições familiares, de apego às religiões e ao (falso) cristianismo, à manutenção da moralidade. Entretanto, estas falas telepáticas são recheadas de preconceitos vorazes e sectarismos. Você nem sabe, mas está sendo usado por eles...

São ataques extrafísicos aviltantes e sequiosos contra homossexuais, mulheres, negros, movimentos sociais, nordestinos, entre outros. Cada grupo encontra sua causa. Os mais escravocratas atuam na obsessão racial. Os machistas e misóginos vão contra as mulheres. Os homofóbicos agridem os gays e lésbicas. E todos eles encontraram respaldo e união nas facções nazifascistas.

Como o Congresso Nacional é frequentado por bancadas e feudos, logicamente o pedido de Impeachment foi acatado de pronto. No Senado Federal a tendência também é a mesma. E nas ruas e nos lares, não só os extremistas e nacionalistas de direita foram altamente obsediados, os esquedopatas também foram atacados.

E as velhas ideias como intervenções militares voltaram à tona.

Um dos chefetes nazifascistas está encarnado no Brasil. Ele dedicou seu voto favorável ao afastamento de Dilma a outro líder de sua banda, o torturador Ustra.

Mais um fascista encarnado, com patente de comando ainda mais alta, foi o grande condutor do processo de Impeachment. E este ainda conta com o patrocínio de um feudo religioso...

Eu não peço que acreditem em mim, mas apenas reflitam muito sobre os bastidores de tudo isso que vem acontecendo no Brasil.

E quando forem se manifestar em favor de alguma facção, meditem e orem com fé antes, muito!










19.4.16

TRISTÃO E OS TOMATES


Gosto tanto e tanto e tanto de gente profunda... O raso me incomoda muito. Vejo gente inteligente, mas tão rasa... E gente quase sem cultura, profunda!
Lembra-me de uma história do meu amigo Fiori.
Richard Wagner, quando estava compondo a ópera Tristão e Isolda, sua esposa chegou da feira e reclamou do preço dos legumes... Então, o célebre compositor disse:
- Mulher, o que dizes? Como reclamas do preço do tomate? Não vês que Tristão está morrendo???

Gente rasa só fala de tomates.

18.4.16

CARTA DO AUTO-EXÍLIO ESPONTÂNEO - AOS AMIGOS, PARCEIROS E ADMIRADORES

Quatro anos depois do Golpe Militar de 1964, um grupo de artistas brasileiros foram exilados. Entre eles, nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buraque de Holanda. Outros, ainda mais eloquentes, também tiveram o mesmo destino, casos de Geraldo Vandré e Taiguara. Uns voltaram, outros, não. Eu digo, não voltaram a si.

O principal motivo para a intervenção militar era o medo de uma iminente invasão comunista, depois da renúncia de Jânio Quadros. O vice-presidente João Goulart, mas conhecido pela alcunha de Jango, era um homem com preocupações sociais, ligado aos movimentos de esquerda. Seu discurso a favor da reforma agrária, entre outras benfeitorias direcionadas ao povo, foi a gota dágua para que ele fosse escorraçado do país, fugindo pela porta de trás.

Naquela época não só os militares, mas um grande contingente da classe média paulistana, além de entidades mais tradicionais como a FIESP e a OAB, além do movimento Tradição, Família e Propriedade, apoiaram as ações golpistas, exatamente como vivenciamos hoje. Essas mesmas instituições deram as caras novamente apoiando um golpe que eles batizam de constitucional. A bola da vez não foi chamar o irmão mais velho, aquele militar bombado provido de tanques e fuzis. Agora eles utilizaram o congresso mais reacionário da história do Brasil forrado de bancadas sectárias e preconceituosas. O nome de Deus foi fartamente utilizado como se fosse a expressão de uma Verdade.

A alegação espúria são as pedaladas fiscais, procedimentos contábeis fartamente utilizados por governos passados como o de FHC e o de Lula. Num país sério, isso jamais seria motivo de Impeachment. Num pais sério, não neste. 

Eu abomino o governo estadual de Geraldo Alckmin. Só a sua gestão na educação já me gera um certo desconforto intestinal. Mas, eu não expedi qualquer pedido de Impeachment ao governo deste tucano infeliz. Eu respeito o voto de milhões de pessoas que votaram em seu favor no estado de São Paulo.

Preâmbulos à parte, escrevi esta carta de auto-exílio para informar aos meus amigos e inimigos, que coleciono pelas jornadas reencarnatórias, que estou abdicando de lançar qualquer obra musical de minha autoria, sendo executada em CD ou DVD ou mesmo em lançamentos digitais. 

Este ano de 2016 eu lançaria meu primeiro cd autoral, o "Voz do Silêncio", com a participação de parceiros em composições como Dery Nascimento, Gladston Galiza e Beatriz Rodarte, além das participações especiais da própria Beatriz, Eugênia Melo e Castro, Sérgio Gama e Marcus Viana.

Sou muito grato a todos! 

Todo o processo de composição, separação de repertório, gravação, edição, mixagem, além de editoração gráfica, reunião com gravadoras e a conclusão final, foi muito doloroso e quase solitário. Poucas pessoas apostaram no meu trabalho e me ajudaram com o melhor de seus propósitos. Todavia, este caminho foi trilhado praticamente sozinho e sem ajuda financeira de qualquer pessoa. 

Lançar uma obra fonográfica no Brasil requer muito investimento, muito trabalho e pouquíssimo, ou quase nenhum, retorno. Mesmo assim, pelo meu amor pela arte e pela música, heroicamente assenti em lançá-lo. O disco tem 12 canções, é absolutamente eclético e, modéstia à parte, dotado de muito bom gosto estético. 

Todavia, diante da ofensa moral e ética que este país ofereceu aos seus artistas, pela infâmia do gesto que incinerou a democracia no Brasil, pela ditadura globista, imposta à cultura nacional, na aposta do que há de mais chulo e desqualificado (corroborando a opinião do mestre Paulo César Pinheiro que afirmou que a indústria fonográfica se prostituiu e que apenas produz entretenimento), por ver triunfar tantas nulidades, como disse o outro Barbosa, o Ruy, eu desisto oficialmente de lançar a obra, já pronta, "Voz do Silêncio". 

Restam-me poucas coisas: a dignidade do meu caráter, o amor às minhas famílias (a tronco e a que formei), o meu afeto incondicional aos animais, o meu jornalismo sobrevivente e a minha espiritualidade. 

Certo estou que esta carta não vai mudar em nada o destino da humanidade, nem tampouco causará impacto ou qualquer efeito para qualquer pessoa, talvez. 

Minha intenção era lançar gradativamente obras de minha composição, para que estas pudessem ser ouvidas com amor, afeição, amizade, com um resto de poesia às poucas pessoas que se atrevessem a ouvi-las. No entanto, diante do luto da minha alma, algo em mim tem que ser sacrificado. Algo que encantou um maior número de pessoas: a minha música. 

Continuarei sim firmemente no meu propósito espiritual. A minha vida segue. O meu som Para. Trata-se de uma dor pessoal. Sei que haverá parcos lamentos de alguns admiradores da minha poesia musical como, pro exemplo, na composição lírica de Jeito de Mato. A eles eu digo que o poeta não morreu, mas agora está mudo. 

E, talvez, esse silêncio seja a única maneira que encontrei, de antemão, para expressar minha indignação com o momento vivido pelo Brasil. 

Como não tenho para onde ir, me auto-exilo aqui mesmo. 

Amigos, o Brasil passa por um processo cármico devastador. Tudo pode estar por um triz. Meu coração mediúnico dispara. Minha alma chora, Minha voz seca. Minha música morre. 

Agradeço, assim, aos poucos que se afinizaram com as minhas canções, letras e melodias e aos tantos elogios, às muitas manifestações de afeto que recebi pelo caminho. 

Mas, eu confio firmemente na vida depois da morte. Quem sabe eu possa voltar a reencarnar nesta mesma vida... 

Hoje, eu sou apenas uma Voz do Silêncio com este Silêncio na Voz.

Que Deus nos proteja! Não aquele deus que foi evocado ontem... 

Paz, Luz e Amor. 


















4.4.16

RECADO DOS AMPARADORES SOBRE O PIOR ASSÉDIO ESPIRITUAL ENFRENTADO PELO BRASIL

O exército nas ruas. Gente atônita fugindo do nada e do tudo. Gritaria e espancamentos. Perseguições. De repente, dois sujeitos armados com faca deferem dois golpes na minha barriga. Fica a cicatriz. As hordas estão ávidas por sangue. Pânico.

Esse cenário escrito acima não foi extraído de um livro de suspense e ficção. Isso foi vivido por mim, fora do corpo, esta noite.

O Brasil está atravessando o maior assédio espiritual que eu pude presenciar nesta encarnação. O Umbral está em festa! Centenas de milhares de espíritos sombrios carregam de nuvens negras para os céus da Pátria. Grupos são liderados pela face da ignorância.

Fascistas, nazistas, extremistas, radicais, terroristas se uniram contra o povo brasileiro. O objetivo principal é deflagar uma guerra civil para aumentar a população umbralina e instalar um governo oculto totalmente voltado às sombras. Sim, há um governo de coalizão do outro lado e eles estão vencendo a guerra,

Aqui não há posicionamento de esquerda ou direita. Há uma preocupação faraônica em alertar o Brasil para este perigo que pode ceifar milhares de vidas. Inclusive seu filho, seu pai, sua mãe, seu ser mais amado. Pense nisso.

A única maneira de se evitar que o pior aconteça e que este mal prevaleça, é a união ecumênica e espiritual de todas as pessoas para o bem comum da humanidade brasileira. Não é uma trégua apenas e sim, uma nova postura diante de tudo que o país está atravessando.

Todas as orações, rezas, meditações, incensos, sal grosso, 7 ervas, terços, são válidos. Mas, nada disso servirá se não houver um outro comportamento, uma outra postura calcada na paz, na sabedoria, na compaixão e no amor ao próximo, seja ele partidário de qualquer corrente política.

Eu resolvi confiar o Brasil nas mãos de Deus. Isso é fé!

Aos amigos de coração limpo e de alma pura, deixem de alimentar as feras raivosas que existem às pencas dentro e fora de nós. Deixe o Brasil para que o Criador assuma o leme.

Comece já a mudar o curso dessa história.

A Verdade está somente no Universo.

Paz e Luz.






Nós não somos estátuas de sal

A Bíblia conta a história de Ló e de sua família que foram salvos por Deus da destruição de uma cidade inteira. Todavia, o Senhor recomendo...