25.3.14

A SAPAIADA SECANTE E A FALTA DE CORAGEM


A felicidade incomoda muito mais que o fracasso. Basta você sorrir e se mostrar feliz nas redes sociais que um bando de sapos-boi começam a surgir pelos bastidores da vida real. Não porque alguém vá correndo dizer o quanto você está errado em ser tão feliz assim, mas é que a infelicidade perene de muitas pessoas deve estar acompanhada pela sua como forma de conforto. Eu sou infeliz, como ele pode estar tão contente?

E, desta maneira, os pré-conceitos aparecem... O conceito é que um rapaz de 25 namore com uma moça de 20. Um homem de 50 namore alguém de 40. Um negro se case com uma mulata, um japonês com uma amarela. São conceitos previamente estabelecidos por uma sociedade hipócrita e subdesenvolvida.

Os sapos e as rãs secadores entoam aquelas velhas frases mentais (ou não):

- Nossa, ele está com uma mulher horrorosa!
- Ele só gosta de menininhas, será chifrado!
- Ela está com um velho, só quer a grana dele!
- Namoro à distância, não vai dar certo!
- Ela está com um menino mais novo para transar!

E por aí vai, ou pior, não vai...

Só tenho um conselho a dar para estas pessoas: SÓ É FELIZ QUEM TEM CORAGEM!

Obrigado


7.3.14

O EGO E A RODA GIGANTE

Você já andou numa roda gigante? Quase todo mundo já andou numa roda gigante. Quando você entra no brinquedo, você começa de baixo e vai subindo, subindo... Quando você chega ao alto, você começa a enxergar todo mundo lá de cima... Dá um medo... E a roda para justo naquela hora. E você começa a se acostumar com a altura e a não enxergar mais ninguém. Depois de algum tempo, a roda gira, gira, gira e você se vê novamente lá embaixo. Na maioria das vezes, quando você entra numa roda gigante, ela só dá uma volta e para justamente no ponto que você entrou. E você não tem mais chance de subir de novo. As vezes, ela dá duas voltas, numa oportunidade única. Mas, a lei da gravidade é inapelável, tudo que sobe tende a descer.

Esta linguagem figurada é apenas um recado às pessoas que sobem, sobem, sobem e pensam que jamais vão descer. Olham as pessoas lá de cima. Têm medo de perder a altura. Já não se sentem familiarizadas com as pessoas comuns. No alto do seus egocentrismos pensam em ser altivas, mas são baixas. E a Roda da Vida começa a girar... Despencam e se abismam numa depressão profunda patrocinada pelo ego ferido. Conheço algumas e já presenciei tantas quedas...

Tenho certeza que comprei o bilhete certo para acompanhar de perto outras rodas gigantes. E vou esperar no andar de baixo, em terra firme e com os braços abertos e altivos para recebê-las.


6.3.14

ENTREVISTA SOBRE BISSEXUALIDADE E HOMOSSEXUALIDADE


1. Você acha que todas as pessoas são bissexuais? 

R. Os seres humanos contam com hormônios femininos e masculinos. O corpo inteiro indica a presença dos dois sexos. Alma e espírito não têm sexo. Amor não tem sexo. Mas, vejo a bissexualidade, muitas vezes, regada pela promiscuidade. É a expressão do "serve qualquer um". Grande parte dos bissexuais pensa assim: "vou para a noite e, para mim, o que vier é lucro, homem ou mulher". Isso é desequilibrante. Qualquer ser que calca a sua vida no sexo está prestes a cometer um suicídio. A energia sexual é extremamente poderosa e pode nos levar aos céus ou ao inferno. No entanto, se a bissexualidade for alicerçada pelo amor, acho válido, desde que a ética seja respeitada. O ser humano tem uma tendência muito forte a cair no extremismo. Sexo pode levar à ruína.

2. Todos os bissexuais são promíscuos?

R. Acredito que não. Mas, o que são pautados pela busca incessante de sexo, são. Assim como os que buscam com avidez as drogas são viciados. Eu vejo a promiscuidade como uma expressão máxima de sentimentos opostos: baixa auto-estima ou narcisismo. Um vampirismo energético. Quem já visitou o Congressus Subtibilis, uma espécie de orgia no astral, sabe bem o que estou falando... Há de se tomar muito cuidado com esta energia.

3. O mundo é gay?

R. Se o mundo fosse apenas gay ele não estaria vivo. O mundo é diverso.

4. O que você acha da explosão da homossexualidade? As pessoas estão saindo cada vez mais do armário. Isso te incomoda?

R. O que me incomoda é querer implantar algo de maneira violenta e desrespeitosa, sem qualquer decoro. Penso que esta explosão da homossexualidade é o resultado de muitos anos de repressão. Os homossexuais sofriam preconceitos de todas as ordens, e ainda sofrem. Agora, com o liberalismo, eles podem e têm direito a expressar sua sexualidade. Mas, assim como não aprecio um espetáculo erótico entre heterossexuais em praça pública, também não sou afeito a shows públicos. Quem quiser que faça o que quiser entre quatro paredes, não é preciso fazer sexo na frente de todos ou mesmo violentar uma sociedade. Eu percebo que muitas pessoas querem chocar o sistema, principalmente mulheres homossexuais que desembarcaram recentemente na homossexualidade. Elas provocam situações vergonhosas para atraírem a atenção. Não estou falando de um simples beijo, estou falando de manifestos sexuais públicos que eu já presenciei. Isso é falta de respeito e pode ser homo, bi ou heterossexual. É preciso respeitar a humanidade.

5. E a cura gay? 

R. Cura gay é um termo infeliz para algo já conhecido entre os psicólogos e terapeutas. Não há cura de algo que não é considerado doença ou mal. O que existe é que muitas pessoas apresentam problemas psíquicos e emocionais como traumas de infância, medos adolescentes, relacionamentos problemáticos com os pais, choques inconscientes, e uma série de outros fatores que podem levar ao homossexualismo. Um exemplo: uma menina que foi violentada na infância pode criar um asco ao sexo masculino e enveredar à homossexualidade porque não confia no sexo oposto. Muitas pessoas apresentam problemas emocionais e psíquicos e se sentem mais confortáveis com as pessoas do mesmo sexo. E uma psicoterapia, uma psicanálise pode ajudar a entender e até resolver esta questão de foro íntimo. No entanto, isso só serve para quem se sente desconfortável com a opção.

6. Como você viu o beijo gay da novela?

R. Eu não cheguei a ver porque não acompanho novelas. Mas, não achei nada de novo. É algo que já foi mostrado na TV. A Globo chegou atrasada e agora quer ganhar tempo e louros. Para mim, é absolutamente normal.

7. Você é a favor do casamento gay? Você seria padrinho? 

R. Sou a favor do amor. Qualquer união pautada no amor me encanta. Só não acho elegante a caricatura. Muita gente é caricata e atrapalha a causa homossexual. Assim  é a Passeata Gay que virou micareta, a MICAGAY. Seria padrinho e com muita honra!

8. O que você complementaria sobre esta nova configuração sexual?

R. Nova? Isso é mais velho que andar para trás. Homossexualismo e Bissexualismo é histórico, sempre houve. Não é um avanço, nem um retrocesso, é algo característico da humanidade. Todos nós já fomos homo ou bi em algumas encarnações. Certa vez eu tive um questionamento: e se todos fossem gays? Não haveria mais gravidez ou a humanidade deixaria de se reproduzir? Eu creio que as opções sexuais que agora vigem podem levar à uma queda populacional e, talvez, isso seja uma espécie de controle. Outra coisa é que a gravidez apenas viria por métodos in vitro, por inseminação artificial.
De qualquer maneira, minha filosofia é calcada na espiritualidade e penso em um mundo livre da sexualidade animal e desregrada. Acho que vamos chegar a este patamar. Enquanto isso, temos que tentar equilibrar as nossas energias. O sexo é uma fonte de prazer, quanto mais limpa a fonte, mais revigorante e iluminada será em nossa vida.









DITADURA - QUE HISTÓRIA É ESSA?