SOBRE AS OPÇÕES SEXUAIS

Lá vou eu falar de sexo, já que a maioria não tem coragem de se expor. 

Eu noto muitas dúvidas e, as vezes, eu fico estarrecido com a ignorância de grande parte das pessoas a respeito de sexualidade.

Então, acredito que eu vá mais ajudar a discernir do que atrapalhar aos outros, afinal este blog foi feito para dar uma mãozinhas às pessoas e criticar quando acho que a coisa não vai bem.

Algumas moças, moços, meninas e adolescentes, entre homens e mulheres, têm dúvidas com relação à opção sexual. 

O que difere a pessoa ser hetero, homo ou bissexual? Parece fácil, e realmente é. Se você sente de fato atração ou "desejo" sexual (tesão mesmo) pelo sexo oposto apenas, então você é heterossexual. Se sente pelo mesmo sexo, é homossexual e pelos dois, bi. Estou me referindo a desejo e não afetividade. Quando entramos no terreno da afetividade, o lance complica porque o fato de amar pessoas do mesmo sexo não significa que você sinta desejo por elas. 

Outra coisa é a curiosidade e a volúpia de experimentar. Eu já tive vontade de fumar maconha e fumei, mas não sou toxicômano, muito menos viciado. Fumei, mas não gostei. O mesmo é com o sexo. Podemos ter curiosidades e vontades temporárias para a experiência com o mesmo sexo. Se gostar e se sentir atraído, ai e são outros quinhentos. Mas, se achar que não é, então você apenas teve experiência, mas não é... Isso não te faz ser homossexual. 

Atenção: desejo e atração sexual não é moda! Não é porque a artista ou a amiga que gosta do mesmo sexo é homo ou bissexual que você deve aderir. Você adere se for tua praia, captou? Se não, é falta de personalidade mesmo, fraqueza de caráter. 

Muitas adolescentes e até adultas não sentem quase desejo e sim, afetividade, que podemos chamar de homoafetividade. Mas, não seria homoafetivo se eu amasse um amigo porém sem desejo? Por isso, muita gente falou em "cura gay", expressão errônea que preconiza que, muitas pessoas com processos afetivos e emocionais de infância ou adolescência ou até mesmo, em situações dramáticas, se enveredam à homossexualidade como rota de fuga. Isso é procedente. Não há doença optativa sexual e sim, fatores emocionais e traumáticos que levaram à escolha sexual. Assim, a melhor forma de tratar isso é por terapia, psicanálise, penso eu. Cavar o inconsciente para colher as respostas de modo mais saudável.

Opção sexual não resulta em bom ou mau caráter, alma ou conduta. Isso tem a ver com a promiscuidade do espírito. Pude observar heterossexuais promíscuos até o talo e homossexuais extremamente travados, aliás, esta é uma característica proeminente em muitos homossexuais, o seu próprio bloqueio. É o que eu sempre digo, parafraseando Fernando Pessoa: "tudo vale a pena quando a alma não é pequena". 

Todas as alternativas sexuais da humanidade são mais velhas que andar para trás. Então, não há moda com relação a isso e sim, uma mudança na maneira de ver. Um modo mais natural de encarar as coisas. 

Mas, seja lá qual for a opção, eu não sou obrigado a participar disso publicamente, não é? Isto posto, seja quem você é, mas respeite que não estamos transando em grupo. Decoro e respeito são bons e eu gosto. Assim, manifestos sexuais públicos e desrespeitosos são para mim uma tentativa de escandalizar e provocar reações adversas. 

A sua opção é problema seu e não nosso. Obrigado. 



Comentários

Postagens mais visitadas