O EGO E A RODA GIGANTE

Você já andou numa roda gigante? Quase todo mundo já andou numa roda gigante. Quando você entra no brinquedo, você começa de baixo e vai subindo, subindo... Quando você chega ao alto, você começa a enxergar todo mundo lá de cima... Dá um medo... E a roda para justo naquela hora. E você começa a se acostumar com a altura e a não enxergar mais ninguém. Depois de algum tempo, a roda gira, gira, gira e você se vê novamente lá embaixo. Na maioria das vezes, quando você entra numa roda gigante, ela só dá uma volta e para justamente no ponto que você entrou. E você não tem mais chance de subir de novo. As vezes, ela dá duas voltas, numa oportunidade única. Mas, a lei da gravidade é inapelável, tudo que sobe tende a descer.

Esta linguagem figurada é apenas um recado às pessoas que sobem, sobem, sobem e pensam que jamais vão descer. Olham as pessoas lá de cima. Têm medo de perder a altura. Já não se sentem familiarizadas com as pessoas comuns. No alto do seus egocentrismos pensam em ser altivas, mas são baixas. E a Roda da Vida começa a girar... Despencam e se abismam numa depressão profunda patrocinada pelo ego ferido. Conheço algumas e já presenciei tantas quedas...

Tenho certeza que comprei o bilhete certo para acompanhar de perto outras rodas gigantes. E vou esperar no andar de baixo, em terra firme e com os braços abertos e altivos para recebê-las.


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas