AS SETAS DA IDA E DA VOLTA

Não, eu não desejo fazer tudo pelo outro. Se eu fizer tudo pelo outro não sobra espaço para fazer por mim. Qualquer relação é uma via de mão dupla. Se temos apenas uma via, chega uma hora que queremos andar na contramão...

Tenho que fazer pelo outro, sim. Mas, tenho que fazer primeiro por mim e para mim. Quando não há relação, você pode prestar caridade e não esperar o retorno. Mensalmente eu faço doações para algumas instituições de caridade e não espero a volta. Não tenho relacionamento com elas, faço porque quero ajudar. Mas, quando há uma relação, seja amorosa, sexual, fraterna, amiga, a energia deve fluir dos dois lados.

Tudo mundo sabe disso, mas tudo mundo repete sempre os mesmos erros: ou a gente faz tudo e não recebe nada ou recebe tudo e não faz nada.
Não quero nem um, nem outro. Quero fazer e receber.

Muita gente só valoriza as pessoas que estão ausentes. Se estivessem presentes não teriam valor algum. Essa histeria me incomoda.

Por isso, quem quiser se relacionar comigo, seja sob qualquer condição, terá que dar e receber na mesma medida. Quando há troca, há relação.
Quando apenas um dá ou recebe, isso é vampirismo.

Comentários

Postagens mais visitadas