O TEMPO E O AMOR - Recebido espiritualmente sob as influência de KG


O TEMPO E O AMOR

E quando as tempestades do amor romperem os muros da consciência, afastai o medo.
Diga: Deus fala comigo por meio da chuva!
Onde os vendavais sopram com fervor, persevera no amor.
Porque Ele há de chegar em forma de sol nos dias mais felizes.
Mas, assim como o tempo muda de humor, Ele chora seus temporais e derrama sua tez na Terra.

O amor troca de vestes, assim como o tempo.
Desnuda-se quando chega o verão, defende-se no inverno.
Mesmo que não arda como um fogo da paixão, o amor serenamente queima as nossas mãos.
Há uma chama perene que deita sobre os arbustos.
Os faquires nem percebem sua presença, mas os poetas ardem com a sua carne viva.

Eu já morri de amor algumas vezes pela vida.
E se eu não morresse não teria vivido.
Até hoje morro, mesmo morto, de amor e de amor vivo.
No entanto, percebo suas ondas como as pedras percebem o Oceano.
Não há caminho a seguir senão for pela trilha do amor.

Os mártires clamam por Ele.
Os amantes uivam sob a sua sombra.
Os poetas morrem, assim como eu.
O amor vive, assim como eu.
E todos nós morremos de amor!


Recebido espiritualmente sob as influência de KG
Maurício Santini

Comentários

  1. Que lindo isto! Realmente.. Nós "morremos" mais ainda vivemos, pois vivemos no amor. Ele pra sempre vive...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas