AO MORRER, PROCURE FICAR CALMO

Minha irmã me contou ontem sobre uma aventura de alguns mergulhadores nos mares da Ilha Bela. O maior naufrágio do Brasil aconteceu nesta ilha. Foi no começo do século XX, com o navio espanhol chamado Príncipe das Astúrias. Era madrugada quando o barco naufragou levando centenas de pessoas ao fundo do mar.

Estes mergulhadores relataram que, ao descerem até perto dos escombros do navio, tiveram incidentes assombrados. Eles relataram que sentiam que alguém mexia com seus instrumentos de mergulho. Além disso, ouviram gritos vindos do barco, gritos de pavor.

Interessei-me pelo assunto e devo colocar algo no meu próximo livro. Todavia, acredito que, muita gente ainda deva estar acorrentada mentalmente a este acontecimento por questões cármicas. Sim, os socorristas espirituais têm a missão de resgatar pessoas que desencarnam. Entretanto, o padrão mental de pânico de algumas pessoas pode inviabilizar socorros, isto é, o medo, a tensão, o desespero pode criar uma capa densa em que os espíritos auxiliares não podem acessar.

Por que eu estou contando isso? Logicamente que, ninguém ao morrer vai ficar calminho, mas chega uma hora que você se dá conta que desencarnou e que não há mais nada o que fazer. Então, nesta hora, procure ficar mais lúcido e calmo e peça auxílio aos seus amparadores e anjos.

Ore e guenta mão que o socorre vem.

Comentários

Postagens mais visitadas