Soneto aos olhos do menino Mukunda*


Soneto aos olhos do menino Mukunda*

(Dedicado à Paramahansa Yogananda)

Que amor é esse capaz de inundar meus olhos num oceano de lágrimas?
Que amor é esse que amanhece em mim estes raios fúlgidos de sol?
Que amor é esse que beija meus pés e caminha devoto à terra?
Que amor pode decolar minh´alma e fazê-la flutuar cônscia pelo ar?

Que amor é esse que me abraça quando eu rogo a Deus em fugir?
Que amor é esse que sorri quando eu penso sumamente em chorar?
Que amor é esse que me encontra quando teimo em me perder de mim?
Que amor pode varrer do meu peito as folhas secas que caem do meu jardim?

Mestre, teus olhos são refletores que acendem meu caminho.
É na tua rede que eu deito meus sonhos e embalo o meu coração.
Dentro de mim mora o teu sorriso e ele é o sândalo da auto-realização.

Mestre, teu amor segue em mim imperecível!
Consagro em mim teu espírito com a mais bela guirlanda de flores.
E a oferto a ti como prova do perfume que sai das tuas próprias mãos!

* Mukunda Lal Ghosh – nome de batismo de Paramahansa Yogananda

 * Poema de 2009





Comentários

Postagens mais visitadas