Cláudia Procla para Pilatos

(excerto do livro "Eu, Pilatos" de Maurício Santini)

"Cheirava feito uma flor do campo no auge da primavera. Uma bela mulher. Sua meiguice acariciava-me. Suas maneiras dóceis e ternas. Quando nos conhecemos, eu era mais esbelto e viril como um cavalo. Imponente. Entregávamos ao prazer como o mar lambe a areia. Porém, minhas ambições eram grandes e minhas devassidões, maiores ainda. Prócula era, além de linda, filha de um político influente de Roma. Certamente meu apetite era mais voraz quando visualizava que poderia tirar proveito dessa situação. Daí, surgiu nosso casamento e, depois, o convite de César para administrar a região de Iudeaea. Para mim foi um jorro de água gélida! Não queria partir para cuidar de uma estrebaria. A sub-raça era uma ofensa à minha dignidade. Assenti com a cabeça, engoli seco, sorri com disfarce e vociferei aos deuses mentalmente. Prócula ficou inexplicavelmente feliz. Não entendi nada e quase a surrei com meus olhos.".

(sobre Cláudia Procla, esposa de Pilatos)

Comentários

  1. Anônimo3.6.11

    Essa parte do livro ainda não cheguei. Agora olhando a foto, essa Cláudia tem uma cara de pedinte de amor. Estou no começo do livro, e só posso ler durante o dia. A noite, já tentei e qdo durmo começo a ter regressões...outro dia fui parar num lugar do passado que eu experimentava vinho tinto. Também sinto estando acordada, como se tivesse montada num cavalo, e escuto a marcha do cavalo nas pedras. Eu, heim?
    Tenho medo de decobrir quem eu era.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas