O GARIMPO DAS PÉROLAS DE JIDDU.

"Para que o homem possa se transformar radicalmente, fundamentalmente, torna-se necessária uma mutação
nas próprias células cerebrais de sua mente. Dizem-nos que devemos mudar, que devemos agir, que devemos transformar nossa mente, nosso coração, tornar-nos uma coisa totalmente diferente. Isso vem sendo pregado há milhares de anos por homens muito sérios, muito ardorosos, e também por charlatães
interessados em explorar o povo. Mas, agora, chegamos ao ponto em que não há mais tempo a perder. Compreendei isto por favor.

Não dispomos de tempo para efetuar gradualmente tal transformação. Os intelectuais de todo o mundo estão reconhecendo que o homem se acha à beira de um abismo, na iminência de se destruir a si próprio. Nem religiões, nem deuses, nem salvadores, nem mestres, nem as lengalengas dos gurus,
poderão impedi-los.

Dizem os intelectuais ser necessário inventar uma nova droga, uma 'pílula dourada' capaz de produzir uma
completa transformação química; e os cientistas provavelmente descobrirão esta droga. Não sei se estais bem a par dessas coisas. Ora, conquanto o organismo físico seja um produto bioquímico, pode uma droga, uma superdroga, fazer-vos amar, tornar-vos bondosos, generosos, delicados, não-violentos? Não o creio;
nenhum preparado químico pode fazer os homens se amarem uns aos outros. O amor não é um produto do pensamento; também não é cultivável, como a flor que plantamos em nosso jardim. O amor não pode ser comprado em uma drogaria, e o amor é a única coisa que poderá salvar o homem – e não os artifícios das religiões, nem seus ritos, nem todos os exércitos do mundo.".


Comentários

  1. Anônimo27.5.11

    Só não o reverencio porque ele não aprovaria!
    Pra mim, o cara mais sensato e libertário que já passou por aqui!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas