AS ESTAÇÕES DA GENTE

É correto dizer que a paixão é um estado patológico, um febrão. Mas, quem há de negar a sua importância? Porque a paixão é o reconhecimento de um pedaço da gente no outro. Uma extensão. E quando a gente reconhece isso, temos medo de perder.

Todavia, calma! Respira. Paciência! Não há nada de errado. A paixão passa e quando amadurece pode verter em amor. Não é bom? No entanto, assim como todo febrão precisamos esfriar a cabeça, lavar a alma, reciclar o coração. Serenizar, despressurizar.

Assim, quando você percebe que o outro é uma extensão de você isso pode ser altamente benéfico porque na verdade somos mesmo isso, com mais ou menos afinidades. O outro está em mim, assim como eu estou no outro. Isso é vida! É uma espécie de Namastê, que é um estado de reconhecimento da divindade de cada um (o Deus que habita em mim é o Deus que mora em você).

Todavia, há temporadas e estações como na canção: "no inverno te proteger, no verão sair pra pescar, no outono te conhecer, primavera poder gosar" (Beto Guedes).

Há tempo para tudo. Assim, deixe correr assim como um rio...

Comentários

Postagens mais visitadas